#273 Falta muito para chamar Bolsonaro de extrema-direita?

Já se passaram mais de 3 anos de um governo de extrema-direita, para dizer o mínimo, e mesmo assim Bolsonaro ainda não é chamado de extrema-direita pela grande mídia brasileira.

Mesmo visitando o líder extremista Viktor Orban na Hungria, citando o lema do fascismo italiano e reforçando seus laços com o extremista, isso tudo ainda não é suficiente para jornais e televisões mudarem seus manuais internos que proíbem que Bolsonaro seja chamado de extrema-direita.

Três anos depois de sucessivas provas de que o bolsonarismo é a extrema-direita e às vésperas de mais uma eleição, parece que, novamente, teremos uma omissão dos grandes veículos em chamar as coisas pelo nome.

Bolsonaro se encontrou com o líder extremista húngaro, Viktor Orbán. Bolsonaro chamou o líder homofóbico de irmão e usou um lema fascista para afirmar os supostos valores que eles representariam: “Deus, Pátria, Família e Liberdade”. A expressão tem origem no fascismo italiano da década de 20 e foi replicado pelos integralistas no Brasil no mesmo período.

Quer receber a nossa curadoria de notícias?
Assine a newsletter diária! Deixe aqui seu e-mail:

Processando…
Sucesso!

O Primeiro Café é um podcast de notícias diário e ao vivo. Você pode ouvir e participar de segunda a sexta às 8h (horário de Brasília). Depois das 9h, o programa fica disponível nos seguintes tocadores:

Spotify
Apple
Google
Deezer
iHeartRadio
Castbox
Podcast Addict
Podchaser
YouTube

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s