Juca Ferreira alerta que prédio central da Cinemateca também corre risco de incêndio

Ex-ministro da Cultura dos governos Lula e Dilma foi entrevistado na edição desta segunda-feira do Primeiro Café e alertou que o prédio central da Cinemateca também corre risco de incêndio.

A cultura enfrenta um desafio duplo: o descaso do governo Bolsonaro e as restrições impostas pela pandemia. Diante deste cenário, qual o futuro do setor no Brasil? O ex-ministro da Cultura dos governos Lula e Dilma, o sociólogo Juca Ferreira, acredita que a reconstrução do setor será difícil, mas vai acontecer.

_O incêndio da Cinemateca não foi algo acidental. Só eu falei umas 20 vezes do perigo. E nós estamos correndo um perigo maior ainda: que o prédio central queime também e aí acabe de vez com o acervo audiovisual e cinematográfico do Brasil!, alertou o ex-ministro.

Juca Ferreira lembrou que parte do acervo de Glauber Rocha foi perdido no incêndio dos últimos dias e outra parte está em risco no prédio central da Cinemateca.

_Se a sociedade brasileira não pressionar para que eles cumpram sua responsabilidade de zelar pelo patrimônio e pela memória cultural do Brasil vai pegar fogo também na estrutura central e aí será um desastre de uma proporção inimaginável, alertou Juca Ferreira.

Sobre os constantes ataques de Bolsonaro ao setor cultural, o ex-ministro argumenta que o atual governo quer que o Brasil volte ao passado.

_Ele rejeita e declarou guerra à Cultura. Ele quer apagar todas as marcas que signifiquem conquistas de liberdade, disse.

Ouça na edição #146 do Primeiro Café:

Coordenador do Judeus Pela Democracia fala sobre foto de Bolsonaro com neta de ministro nazista

Guilherme Cohen foi o entrevistado da edição desta terça-feira do Primeiro Café e comentou as mais recentes associações do bolsonarismo com a extrema-direita alemã.

O psicólogo Guilherme Cohen coordena o movimento Judeus Pela Democracia e comentou o mais recente escândalo que aproxima o governo Bolsonaro de figuras neonazistas.

_Esse não é um caso isolado. Desde o início do governo vimos casos de inspirações muito claras, que não estavam nem nas entrelinhas, que mostram com muita clareza o quanto esse governo tem inspirações no nazismo, diz Cohen.

Guilherme diz que “não só como judeus, mas como seres humanos e como brasileiros, vimos com muita tristeza e com muita indignação esse caso mais recente”.

O coletivo Judeus Pela Democracia foi fundado em 2018 com o objetivo de ser um contraponto aos judeus que apoiaram a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência e vem lutando contra a apropriação de símbolos judaicos e de Israel pelo bolsonarismo.

_Nascemos a partir de um grupo de parte da comunidade judaica no Brasil se sentia revoltada com o senso comum que tentava mostrar que apoiávamos a candidatura do então deputado Bolsonaro, conta.

Ouça na edição #142 do Primeiro Café:

O Brasil não está preparado para o frio que está por vir. Saiba como ajudar quem precisa

Os meteorologistas alerta que, na semana que vem, o Sul, o Sudeste e o Centro-Oeste vão passar por uma onda de frio sem precedentes.

Separamos aqui informações sobre como ajudar quem precisa em alguns dos estados que serão mais atingidos pelo frio extremo.

RIO GRANDE DO SUL

Nessa matéria do G1 RS você encontra informações sobre a campanha do agasalho na capital gaúcha. E nessa outra, do portal GauchaZH, há informações sobre como ajudar em outras cidades do estado.

SANTA CATARINA

Nessa reportagem do Diário Catarinense você encontra detalhes sobre as campanhas na capital. No site do governo do Estado há orientações para ajudar em outros pontos de Santa Catarina.

PARANÁ

Para informações sobre como ajudar em Curitiba, essa página do site Curitiba de Graça oferece orientações. Há outras informações sobre campanhas em outras partes do Estado nessa matéria do site Bem Paraná.

MATO GROSSO DO SUL

Essa iniciativa em Campo Grande aponta os locais para fazer doações. E aqui há detalhes da campanha do Governo do Estado nesse sentido.

SÃO PAULO

Essa matéria da Folha aponta onde doar agasalhos e cobertores no Estado. Há informações também no site do Fundo Social ou no site da campanha do agasalho Aquece SP.

Na capital, o projeto do padre Julio Lancellotti ajuda moradores de rua com comida, cobertores e roupas. Você pode saber como ajudar nas redes sociais do padre, como Twitter e Instagram.

Nova presidenta da UNE fala sobre protestos contra Bolsonaro e ataques contra a educação

Bruna Brelaz foi eleita recentemente para presidir a União Nacional dos Estudantes (UNE) e participou ao vivo da edição 140 do Primeiro Café.

A maior entidade estudantil do Brasil agora é presidida por uma mulher negra e amazonense. São dois fatos inéditos destacados com a eleição de Bruna Brelaz para a presidência da UNE.

Mas, se depender dela, o mandato dela será marcado por outro fato. Neste sábado, 24 de julho, ela participa das manifestações #24J pelo impeachment de Bolsonaro.

_Eu gostaria muito de ser lembrada como a presidenta da UNE que, junto com uma geração de jovens, derrubou o presidente que tem sido nocivo à educação e ao povo brasileiro, disse.

Ela substitui Iago Montalvão, que também já foi entrevistado pelo Primeiro Café.

Ouça na edição #140 do Primeiro Café:

Perpétua Almeida apresenta proposta para barrar militares em cargos no governo

Deputada federal do Acre foi entrevistada na edição desta quinta-feira do Primeiro Café e falou sobre a proposta.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para estabelecer regras para que militares da ativa ocupem cargos no governo federal.

O governo Bolsonaro tem mais de 6 mil militares em cargos diversos. Só no Ministério da Saúde são, pelo menos, 20. Pelas regras propostas pela deputada, o general Eduardo Pazuello, por exemplo, não poderia ter assumido o Ministério da Saúde.

A parlamentar conseguir a assinatura de outros 189 deputados, 18 a mais da quantidade mínima necessária. Ela comemora que conseguiu assinaturas de colegas de todos os partidos.

_É imperativo constitucional que as Forças Armadas se mantenham apolíticas, como instituições de Estado que são, comenta a deputada federal.

Além do apoio suprapartidário, a PEC conquistou apoio de cinco ex-ministros da Defesa. Os ex-ministros Nelson Jobim (governos Lula e Dilma), Celso Amorim, Jaques Wagner e Aldo Rebelo (os três no governo Dilma) e Raul Jungmann (governo Temer).

Ouça na edição #134 do Primeiro Café:

O que rolou na CPI da Covid esta semana?

Senadores ouviram PM vendedor de vacina e deputado do Amazonas. Wizard ficou calado e líder do governo foi convocado.

A CPI da Covid no Senado colheu três depoimentos pouco produtivos esta semana: Fausto Júnior, deputado que presidiu a CPI local no Amazonas, Carlos Wizard, que ficou calado, e Luiz Paulo Dominguetti, o PM vendedor de vacina que denunciou cobrança de propina.

Por outro lado, a comissão avançou na aprovação de novas convocações e dá indícios de que deve mesmo ser prorrogada por mais três meses. Entre os convocados para a próxima semana, o líder do governo, deputado Ricardo Barros. O nome do parlamentar surgiu no depoimento dos irmãos Miranda na semana passada. Segundo Luis Miranda, o presidente teria dito que se tratava de mais um rolo do Ricardo Barros quando ouviu sobre as suspeitas de irregularidades na compra da Covaxin.

Terça: Fausto Júnior

O destaque foi o embate com o presidente da CPI, senador Omar Aziz, que é do Amazonas. O deputado foi cobrado sobre porque não ter pedido o indiciamento do governador Wilson Lima no relatório final da investigação realizada no Estado.

Quarta: Carlos Wizard

O empresário bolsonarista chegou, recitou partes da Bíblia, negou a existência de um gabinete paralelo da Saúde e disse que permaneceria calado. E assim foi. A cada pergunta dos senadores, Wizard respondia que iria permanecer em silêncio.

Quinta: Luiz Paulo Dominguetti

O policial militar mineiro que denunciou pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina numa negociação com o Ministério da Saúde causou altas confusões na CPI. Isso depois que ele resolveu partir para o ataque contra o deputado Luis Miranda, quem “esteve outro dia aqui depondo contra o presidente”. Ele reproduziu um áudio de Miranda e disse que se tratava de uma negociação de vacinas. O deputado correu na CPI e avisou Aziz e Renan Calheiros, no pé do ouvido, que o áudio era manipulado. Confrontado, o PM admitiu que imaginou que se tratava de negociação de vacinas porque recebeu “no zap” o áudio seguido de um print de uma reportagem sobre a denúncia de supostas irregularidades no contrato da Covaxin pelo deputado Luis Miranda.

Dominguetti chegou a ser acusado por senadores de ser uma testemunha plantada pelo governo. Causou estranheza o fato de a tropa de choque do governo estar defendendo um depoente que acusava o governo de corrupção. Ele teve o celular apreendido para verificação do que falou na CPI.

Na próxima semana…

Terça: Regina Célia Silva Oliveira, fiscal do contrato firmando entre o Ministério da Saúde e a Precisa, intermediária da Bharat Biotech no Brasil

Quarta: Roberto Dias, ex-diretor de logística do Ministério da Saúde

Quinta: Carolina Palhares, diretora de Integridade do Ministério da Saúde

Sexta: depoimento secreto de Witzel

Ouça na edição #125 do Primeiro Café:

Vereador de Olinda, Vinicius Castello fala sobre atuação na primeira Câmara do Brasil

Vinicius Castello foi entrevistado no Primeiro Café na última quinta-feira e falou sobre a atuação na primeira Câmara do Brasil.

Foi nas redes sociais que o advogado Vinicius Castello, 26 anos, fez a campanha eleitoral que o levaria a ser eleito o primeiro vereador LGBTQ+ de Olinda, em Pernambuco.

“Lugar de preto, periférico, LGBTQ+ e jovem é na Câmara”: foi assim que ele comemorou a eleição nas redes sociais.

Com seis meses de mandato, Vinicius Castello comemora a aprovação unânime pelos colegas – incluindo bolsonaristas – do projeto do estatuto étnico-racial de Olinda, “que contempla os povos ciganos e indígenas”, como ele faz questão de frisar.

_O que eu procurei fazer e acredito que deu certo foi construir a aprovação dialogando com os parlamentares de maneira muito didática. Acabei tornando o estatuto um projeto muito além do que eu sou ou da minha atuação como parlamentar. Eu fiz com que eles também fizessem parte de um momento histórico, diz o vereador.

Ouça a entrevista na íntegra na edição #124 do Primeiro Café:

#DesmonetizaSikera: apresentador já perdeu 7 patrocinadores por falas homofóbicas

Campanha do perfil Sleeping Giants Brasil denunciou falas homofóbicas do apresentador bolsonarista para as marcas que patrocinavam as redes e o programa do apresentador da RedeTV.

No vídeo de lançamento da campanha #DesmonetizaSikera, o perfil exibiu as falas homofóbicas do apresentador:

Após a ação, uma a uma as marcas foram anunciando que deixariam de anunciar nos canais do apresentador:

E não foi apenas isso: O senador Fabiano Contarato (Rede-AP) afirmou no Twitter que pediu ao Ministério Público “que investigue este apresentador por homofobia, conduta que deve ser punida na lei penal”.

Pelas nossas contas, até agora (18h30 29/06), 7 empresas já tinham abandonado o apresentador. O BuzzFeed está fazendo a contagem.

Ouça na edição 122 do Primeiro Café:

Movimentos sociais antecipam 3º dia de mobilização #ForaBolsonaro para 3 de julho

O terceiro dia de mobilização nacional convocado pelas frentes Povo Sem Medo, Brasil Popular e Coalizão Negra por Direitos foi adiantado para o próximo sábado, dia 3 de julho, em razão da gravidade das denúncias do escândalo da Covaxin.

As denúncias dos irmãos Miranda de que Bolsonaro foi avisado das supostas irregularidades no contrato da vacina indiana e, mesmo assim, não fez nada trouxeram um novo impulso para o movimento que pede o impeachment do presidente.

“Isso é mais um rolo do Ricardo Barros”, teria dito Bolsonaro ao deputado Luis Miranda quando foi avisado sobre o esquema. A revelação foi feita pelo deputado bolsonarista após mais de nove hora de depoimento na CPI da Covid.

Antes, na quarta-feira, está prevista a entrega do superpedido de impeachment de Bolsonaro, que reúne dados de outros 100 pedidos protocolados na Câmara dos Deputados.

Acompanhe a semana na política brasileira ouvindo o Primeiro Café:

#19J: Primeiro Café transmite manifestações deste sábado no YouTube, Facebook e Twitch

São mais de 400 manifestações no Brasil e no exterior. A equipe do Primeiro Café vai transmitir ao vivo pelo YouTube, Facebook e Twitch.

Já são 409 cidades com protestos confirmados no próximo sábado. Além do Brasil, manifestações serão realizadas ao redor do mundo.

A partir das 14h, nossa equipe estará a postos para mostrar os protestos. Você pode acompanhar a nossa SuperLive e também fazer parte: se você quiser mostrar o protesto na sua cidade, entre em contato pelo nosso e-mail contato@primeiro.cafe!

Ative o lembrete da transmissão:

Ouça na edição 114 do Primeiro Café: