#253 Elza Soares cantou até o fim

A maior cantora do Brasil cantou até o fim, como ela queria. Elza Soares morreu ontem à tarde aos 91 anos, em casa, por causas naturais. 

No início da semana, ela gravou um álbum e um DVD. Ontem à tarde, ela sentiu cansaço, avisou as pessoas próximas que achava que morreria, deitou para descansar e 40 minutos depois, morreu em paz.

CANTOU ATÉ O FIM
Elza Soares será velada hoje no Teatro Municipal no Rio de Janeiro. A cerimônia será aberta ao público. A morte da cantora Elza Soares repercutiu na imprensa internacional. Vários veículos lembraram que ela foi eleita como a voz do milênio pela Rádio BBC de Londres, em 1999.

O jornal The Washington Post, foi um dos primeiros veículos a noticiar a morte de Elza. Já a Rádio França Internacional definiu a famosa como “cantora mítica”.

O argentino La Nación disse que a “mítica cantora brasileira Elza Soares morreu aos 91 anos por causas naturais”.

O jornal português Diário de Notícias também anunciou a morte de um “ícone da música brasileira”.

A agência Reuters destacou o ativismo social que também marcou sua carreira.

Uma das publicações especializadas sobre música mais importantes do mundo, a Rolling Stone, também destacou as críticas sociais incorporadas por Elza a sua obra. 

Quer receber a nossa curadoria de notícias?
Assine a newsletter diária! Deixe aqui seu e-mail:

Processando…
Sucesso!

Mulheres ocupam praça e impedem atos de extremistas em São Paulo

A escritora Daniela Abade participou do Primeiro Café e contou como nasceu a ação que ocupa praça em São Paulo e impede atos contra o aborto de extremistas religiosos

Uma ação solidária que nasceu da coragem de um grupo de mulheres dispostas a impedir uma manifestação extremista contra o direito ao aborto. Assim nasceu a Primavera da Solidariedade, evento que acontece até o fim de outubro na praça em frente ao Hospital Pérola Byington, no Bexiga, região central de São Paulo.

O hospital é um centro público de referência no atendimento a mulheres vítimas de violência. Nesse hospital são realizados abortos nos três casos previstos pela lei brasileira: estupro, gestação de fetos anencéfalos ou gravidez com risco de morte para a mãe.

Ouça na edição #186 do Primeiro Café: